Somos uma organização não governamental com programa de Proteção Especial às crianças que foram vítimas de violência. Trabalhamos em regime de acolhimento institucional, com capacidade para receber 56 crianças e adolescentes.

          Nossa missão é acolher crianças que são afastadas do seu meio familiar e comunitário como medida de proteção especial. Prestamos esse serviço à sociedade gaúcha através de três unidades de acolhimento, sendo duas em regime temporário – Canoas e Porto Alegre – e uma inaugurada em Julho de 2008 na cidade de Canoas, que configura acolhimento permanente por se tratar de uma Família Social com estrutura de Casa Lar. A Casa Lar é uma unidade direcionada às crianças e adolescentes que não tiveram a oportunidade de retornar ao convívio familiar ou de serem adotados.

 

Unidade de Acolhimento de Canoas:

 

       São acolhidas 20 crianças. Dentro da unidade atuam uma psicóloga na função de coordenadora técnica, uma assistente social e um auxiliar administrativo. No cuidado direto com as crianças atuam quatro monitoras – uma por plantão e quatro atendentes por plantão manhã e tarde e uma no plantão noturno. O abrigo conta ainda com três auxiliares de limpeza e uma cozinheira.

 

Unidade de Acolhimento de Porto Alegre:

 

       São acolhidas 25 crianças. Atuam uma psicóloga e assistente social e uma Coordenadora de Unidade. No cuidado direto com as crianças atuam quatro monitoras – uma por plantão e quatro atendentes por plantão manhã e tarde e uma no plantão noturno. Conta, da mesma forma, com duas auxiliares de limpeza e uma cozinheira.

 

Unidade Casa Lar – Canoas:

 

        São acolhidas 10 crianças/adolescentes. A equipe técnica e administrativa é a mesma da Unidade de Acolhimento de Canoas, e no cuidado direto com as crianças e adolescentes atuam a Mãe Social e uma auxiliar de Mãe Social.

 

Sede administrativa:

 

       O grupo de funcionários é composto por assistente administrativo, psicóloga e assessora da diretoria, auxiliar administrativo, contador, uma auxiliar de limpeza, um estagiário da Área de Comunicação Social e um estagiário do “Programa Nota Solidária”.